Os moradores dos conjuntos habitacionais Pedro Simplício, Paraíso, Hermes Pacheco e Irapuá, em Floriano, participaram, nesta quinta (1) e sexta-feira (2), da reunião sobre o Programa de Regularização Fundiária Urbana Específica (ProUrbe). Na oportunidade, foi explicada toda a sistemática do programa e tiradas as dúvidas dos mutuários. A Agência de Desenvolvimento Habitacional do Piauí (ADH-PI) é parceira do ProUrbe, que vem sendo executado pela Secretaria da Administração (Sead), por meio da Superintendência de Patrimônio Imobiliário (SPI).

O ProUrbe faz parte da política estadual de regularização fundiária urbana, instituída por meio da Lei nº 8.153/23, com o objetivo de identificar as ocupações individuais ou coletivas informais, consolidadas em imóveis públicos estaduais, e garantir a transferência da propriedade imobiliária aos seus respectivos ocupantes. Todo o processo é feito de forma gratuita aos beneficiários.

Ao lado da superintendente da SPI, Caroline Viveiros, o diretor-presidente da ADH-PI, Carlos Edilson, falou aos moradores sobre a importância de ter um imóvel regularizado e a segurança jurídica que é proporcionada. “Com o imóvel regularizado, o proprietário pode obter financiamentos bancários dando o imóvel como garantia e possibilitando novos investimentos, como reformas ou aquisição de novos bens. A regularização também aumenta o valor de mercado do imóvel e confere mais autonomia para que o dono possa vender”, explicou.

Ainda segundo o diretor-presidente da ADH-PI, a parceria com o ProUrbe promete impulsionar ainda mais as ações de regularização fundiária e o desenvolvimento das cidades. “Essa união de esforços com a Sead, através da SPI, representa um marco significativo para os moradores desses conjuntos habitacionais, pois promete avanços concretos na regularização fundiária e na melhoria das condições de vida dos piauienses, visando também o desenvolvimento econômico no Estado”, destacou.

Floriano é a terceira cidade do Piauí a receber as ações do ProUrbe. Além de Teresina, os trabalhos de regularização já foram iniciados em Parnaíba. “A ideia é que a gente realize esse trabalho em todo o estado. Nos reunimos com a comunidade para, além de informar, esclarecer dúvidas a respeito de como vai funcionar o processo de regularização em cada uma dessas regiões. Especialmente no que diz respeito ao momento de coleta de dados do imóvel e dos ocupantes, passo extremamente importante para concluir o processo de regularização e que depende dessa abertura e acolhimento da população para com nossa equipe.”, destacou Caroline Viveiros.

Durante a reunião, os moradores puderam conhecer melhor os planos e metas do ProUrbe. Além disso, foram abertas oportunidades para esclarecimento de dúvidas promovendo assim um diálogo transparente e participativo.

O procedimento de regularização inicia com a identificação da ocupação em imóveis estaduais, onde é feito um voo de drone pelo local para demarcar os lotes. A partir daí, as equipes iniciam o trabalho de cadastro social das famílias moradoras. Em seguida, é elaborado um projeto com o memorial descritivo, com todos os detalhes do tipo de edificação em cada lote. Depois, o projeto é submetido ao Programa Regularizar, do Tribunal de Justiça do Piauí, para registro em cartório.